Perguntas frequentes

EDUCAÇÃO

Tenho um adolescente em casa e não sei mais o que fazer em relação aos estudos. Ele não se interessa e passa a maior parte do tempo jogando.


A adolescência é uma fase de transição entre a vida infantil e adulta. Nesse período, o jovem constrói sua identidade e os desafios são vistos como provas que ele precisa superar para demonstrar para os outros e para si que é um vencedor. Porém, há jovens que não conseguem passar por essa etapa sozinho, apresentam dificuldade em expressar seus sentimentos e, por consequência, acabam tendo baixo rendimento escolar por nao saber lidar com tantas atribuições ao mesmo tempo. Diante dessa realidade, o mais indicado é procurar um profissional que trabalhe especificamente com Adolescência, que entenda de suas "dores" para que o ajude em seu autoconhecimento e na mudança de seu Mindset.




O psicopedagogo é professor de banca?


Não. O psicopedagogo é um especialista que atua em consultório num sentido mais amplo, investigando as possibilidades de mudanças sobre o processo cognitivo, emocionais e pedagógicos que porventura possam estar interfirindo na aprendizagem de seus pacientes, individualmente. Já a banca, preocupa-se apenas em dar continuidade no sentido de resolucionar as atividades advindas da escola, ou seja, não tem a responsabilidade de trabalhar no resgate de capacidades não desenvolvidas pela criança e adolescente.




O que é dislexia?


Segundo definição adotada pela IDA – International Dyslexia Association, em 2002, dislexia do desenvolvimento é considerada um transtorno específico de aprendizagem de origem neurobiológica, caracterizada por dificuldade no reconhecimento preciso e/ou fluente da palavra, na habilidade de decodificação e em soletração. Essas dificuldades normalmente resultam de um déficit no componente fonológico da linguagem e são inesperadas em relação à idade e outras habilidades cognitivas. A criança com suspeita de dislexia apresenta sinais comuns que são observáveis desde a pré-escola, porém esses sinais não são suficientes para concluir um diagnóstico de Dislexia. O avaliação diante uma suspeita deve ser realizada por uma equipe multi, que pode incluir, psicopedagogo, fonoaudiólogo, neuropediatra, neuropsicólogo e psicólogo. Vale lembrar que a criança é um ser biopsicossocial, assim, TODOS, os fatores que o rodeiam devem ser avaliados e analisados para o fechamento de um diagnóstico.




A dislexia tem cura?


Ainda não se conhece a cura para a dislexia. O que sabemos é que o tratamento exige a participação de especialistas em várias áreas (psicopedagogia, fonoaudiologia, psicologia, etc.) para ajudar o disléxico a desenvolver e encontrar a melhor estratégia no mecanismo da leitura, da expressão escrita ou da matemática.




Meu filho tem Deficiência Intelectual. Qual a melhor forma dele aprender?


Primeiramente precisamos entender que cada criança tem seu tempo de desenvolvimento e que são únicas. A terapia que "Joãzinho" faz não necessariamente servirá a "Maria". Assim, o primeiro passo é entender o desenvolvimento da criança, entender o que é necessário a ela e o que é preciso para o momento atual. Diante desses dados, traçar um plano de intervenção psicopedagógica individualizado e único proporcionando o desenvolvimento de suas habilidades. No mercado há vários métodos, várias linhas de trabalho. ASSIM, EU DEFENDO QUE CADA SER É ÚNICO E QUE A INTERVENÇÃO DEVE ACOLHER A SUA NECESSIDADE E NÃO A CRIANCA SE ENCAIXAR DENTRO DE UM MÉTODO PRÉ DETERMINADO.




Quanto tempo dura uma intervenção psicopedagógica?


Não tem como mensurarmos o tempo de cada intervenção. O tempo de duração da terapia psicopedagógica como qualquer outra está associado aos fatores: 1º a necessidade de cada paciente 2º o envolvimento na terapia 3º a assiduidade nas terapias 4º o que se pretende com a terapia O que acontece muitas vezes em todas as terapias é que no primeiro sinal de superação das dificuldades começa ocorrer o distanciamento das sessões, o que pode ocasionar um efeito "rebote", ou seja, quando há retorno das dificuldades com a falta de periodicidade nas sessões. Isso acontece, por que muitas vezes a criança ou o adolescente não tem consolidade totalmente a modificabilidade cognitiva necessária para ser empregada em todas as áreas da aprendizagem. Esse tipo de efeito pode desencadear fatores emocionais que interferiram negativamente no processo de aprendizagem.





Tenho um adolescente em casa e não sei mais o que fazer em relação aos estudos. Ele não se interessa e passa a maior parte do tempo jogando.


A adolescência é uma fase de transição entre a vida infantil e adulta. Nesse período, o jovem constrói sua identidade e os desafios são vistos como provas que ele precisa superar para demonstrar para os outros e para si que é um vencedor. Porém, há jovens que não conseguem passar por essa etapa sozinho, apresentam dificuldade em expressar seus sentimentos e, por consequência, acabam tendo baixo rendimento escolar por nao saber lidar com tantas atribuições ao mesmo tempo. Diante dessa realidade, o mais indicado é procurar um profissional que trabalhe especificamente com Adolescência, que entenda de suas "dores" para que o ajude em seu autoconhecimento e na mudança de seu Mindset.




O psicopedagogo é professor de banca?


Não. O psicopedagogo é um especialista que atua em consultório num sentido mais amplo, investigando as possibilidades de mudanças sobre o processo cognitivo, emocionais e pedagógicos que porventura possam estar interfirindo na aprendizagem de seus pacientes, individualmente. Já a banca, preocupa-se apenas em dar continuidade no sentido de resolucionar as atividades advindas da escola, ou seja, não tem a responsabilidade de trabalhar no resgate de capacidades não desenvolvidas pela criança e adolescente.




O que é dislexia?


Segundo definição adotada pela IDA – International Dyslexia Association, em 2002, dislexia do desenvolvimento é considerada um transtorno específico de aprendizagem de origem neurobiológica, caracterizada por dificuldade no reconhecimento preciso e/ou fluente da palavra, na habilidade de decodificação e em soletração. Essas dificuldades normalmente resultam de um déficit no componente fonológico da linguagem e são inesperadas em relação à idade e outras habilidades cognitivas. A criança com suspeita de dislexia apresenta sinais comuns que são observáveis desde a pré-escola, porém esses sinais não são suficientes para concluir um diagnóstico de Dislexia. O avaliação diante uma suspeita deve ser realizada por uma equipe multi, que pode incluir, psicopedagogo, fonoaudiólogo, neuropediatra, neuropsicólogo e psicólogo. Vale lembrar que a criança é um ser biopsicossocial, assim, TODOS, os fatores que o rodeiam devem ser avaliados e analisados para o fechamento de um diagnóstico.




A dislexia tem cura?


Ainda não se conhece a cura para a dislexia. O que sabemos é que o tratamento exige a participação de especialistas em várias áreas (psicopedagogia, fonoaudiologia, psicologia, etc.) para ajudar o disléxico a desenvolver e encontrar a melhor estratégia no mecanismo da leitura, da expressão escrita ou da matemática.




Meu filho tem Deficiência Intelectual. Qual a melhor forma dele aprender?


Primeiramente precisamos entender que cada criança tem seu tempo de desenvolvimento e que são únicas. A terapia que "Joãzinho" faz não necessariamente servirá a "Maria". Assim, o primeiro passo é entender o desenvolvimento da criança, entender o que é necessário a ela e o que é preciso para o momento atual. Diante desses dados, traçar um plano de intervenção psicopedagógica individualizado e único proporcionando o desenvolvimento de suas habilidades. No mercado há vários métodos, várias linhas de trabalho. ASSIM, EU DEFENDO QUE CADA SER É ÚNICO E QUE A INTERVENÇÃO DEVE ACOLHER A SUA NECESSIDADE E NÃO A CRIANCA SE ENCAIXAR DENTRO DE UM MÉTODO PRÉ DETERMINADO.




Quanto tempo dura uma intervenção psicopedagógica?


Não tem como mensurarmos o tempo de cada intervenção. O tempo de duração da terapia psicopedagógica como qualquer outra está associado aos fatores: 1º a necessidade de cada paciente 2º o envolvimento na terapia 3º a assiduidade nas terapias 4º o que se pretende com a terapia O que acontece muitas vezes em todas as terapias é que no primeiro sinal de superação das dificuldades começa ocorrer o distanciamento das sessões, o que pode ocasionar um efeito "rebote", ou seja, quando há retorno das dificuldades com a falta de periodicidade nas sessões. Isso acontece, por que muitas vezes a criança ou o adolescente não tem consolidade totalmente a modificabilidade cognitiva necessária para ser empregada em todas as áreas da aprendizagem. Esse tipo de efeito pode desencadear fatores emocionais que interferiram negativamente no processo de aprendizagem.





SAÚDE

Me sinto bem, sem queixas, dores ou limitações! Preciso ir me consultar com um Fisioterapeuta?


Sim! Primeiro porque o seu foco deve ser a manutenção da sua saúde, em lugar de correr atrás para recuperá-la! Essa lógica vai permitir que você explore integralmente as suas potencialidades em diversos momentos e situações da sua vida e é muito menos custosa de tempo, recursos financeiros e qualidade de vida! Em segundo lugar, algumas alterações tem início silencioso, só sendo percebidas pelo paciente quando já causaram alterações e limitações funcionais, como DOR! É preciso que se entenda qual é o SEU NORMAL, para que possamos identificar, prontamente, quando você se afastar dele.




Posso procurar diretamente um Fisioterapeuta sem passar antes por um outro profissional de saúde?


Sim! O Fisioterapeuta é profissionall de primeiro contato e apto a estabelecer e induzir condutas com base em diagnóstico próprio. Isso não afasta o olhar de outros profissionais, que possuem saberes e competências próprias. O ideal é, portanto, uma abordagem multi profissional, mas com múltiplas formas de entrada do paciente. Caso você tenha uma relação com uma Operadora de Plano de Saúde, esta pode, por vias contratuais e administrativas, desenhar um fluxo a ser observado para utilização dos seus serviços, mas somente para os consumidores dos seus serviços. Não é o caso de uma consulta particular, por exemplo.




Se eu iniciar o tratamento com Fisioterapeuta, terei de me afastar das minhas atividades esportivas e de trabalho?


Provavelmente Não! A menos que o risco biomecânico associado à tarefa seja muito alto ou sua capacidade funcional e protetiva esteja muito baixa. De qualquer forma, nosso papel é assegurar que você desempenhe suas tarefas com o menor risco de lesões e agravos, mas que se mantenha Ativo! Entendemos que o próprio movimento pode ser um agente da recuperação funcional. O repouso absoluto ou a suspensão total das atividades são medidas radicais guardadas para casos mais extremos.




Tenho uma queixa em uma articulação específica, mas o Fisioterapeuta quis analisar minha postura! Por quê?


Mesmo que você tenha uma queixa em uma articulação periférica, como ombro, joelho ou tornozelo, ela estrá interligada às demais articulações do corpo, inclusive à sua coluna! O local onde você sente dor, desconforto, fraqueza, instabilidade ou limitação do movimento pode ser apenas onde o problema se manifesta, mas não necessariamente aonde ele se originou! Ou seja, é preciso investigar se outras articulações também estão em risco de evoluirem para uma alteração funcional!




O que é Ozonioterapia e para que serve?


É uma técnica que utiliza aplicação medicinal da mistura de gases oxigênio e ozônio. É usada no tratamento de mais de 250 tipos de situações clínicas, podendo ser aplicada isoladamente ou em associação ao outros recursos. A Ozonioterapia é uma modalidade terapêutica reconhecida e está no rol das Práticas Integrativas e Complementares do Ministério da Saúde.




Qual o melhor período para tratar manchas na face?


As manchas na face , também chamadas de Discromias, acometem boa parte das mulheres, principalmente duante o período gestacional. O período do outono e do inverno são os mais favoráveis para as intervenções na face, pela menor incidência de luz solar. Ainda assim, é sempre necessário estar atento a escolha de bons profissionais e boas técnicas e cercar-se de cuidados sempre que for fazer intervenções em áreas tão expostas!